Em busca da Maturidade

Texto: Fl. 3:13-21 – Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,14 – Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.15 – Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará.16 – Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo.17 – Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.18 – Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo,19 – Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.20 – Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,21 – Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.

Início: No domingo passado pudemos ver as atitudes de uma igreja que agradou ao coração de Jesus e do qual Ele mesmo testificava que era uma igreja saudável, porque tinha as qualidades de Jesus em sua vida e testemunho. Era uma igreja que decidiu guardar a Palavra do
Senhor e colocar os seus ensinamentos para colocar em prática no seu dia a dia, então podemos ver que apesar de ser uma igreja pequena, talvez sem influencia politica e econômica na sociedade, colocou toda a sua confiança em Jesus, e prá ela Jesus coloca uma porta aberta, prá que ela entre e conquiste novas posições espirituais. Mas o que podemos ver que pode trazer uma diferença em nosso meio e o que distingue uma igreja madura de uma igreja imatura? Para isto precisamos ir aos ensinos do grande Apóstolo Paulo, que em todo o seu ministério sempre procurava orientar sobre a necessidade de novas posições que a igreja de Cristo precisa galgar e conquistar.

Chamamos de maturidade um processo contínuo no qual a pessoa vai aprendendo a verdade e agindo de acordo com o que aprendeu. É como uma cortina que está em nossa frente e que aos poucos vai se abrindo diante dos nossos olhos e vamos enxergando mais e mais. Em Fl. 3: 12/17, podemos encontrar entre outras as seguintes características de uma pessoa madura, lembrando que a Igreja somos nós, e não uma construção ou um edifício:

  • Reconhece sua condição (12):. Ou seja, sabe que ainda não chegou lá. A maturidade começa exatamente ai. A pessoa sabe que ainda não está plena, absoluta, perfeita, sem erros ou pecados. Ela sabe que precisa de ajustes, correções, acertos, etc. O arrependimento tem que fazer parte da vida do crente, Mt:3:2 (“Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”. Sem arrependimento não há remissão de pecados, por isto na maturidade o arrependimento é um caminho sem volta e faz parte do nosso caráter. Uma tradução literal de metanoia significa mudança de mentalidade ou propósito. O termo geralmente é usado em dois contextos, ambos com o sentido literal da palavra. Na Bíblia, a tradução mais comum é “arrepender-se”. Nesse contexto, a mudança se refere a um incrédulo que se torna crente. E esse tipo específico de mudança de mentalidade implica em mudança total de comportamento e natureza. Espera-se que a pessoa que passa por uma metanoia não só adote o pensamento piedoso, mas suas ações reflitam piedade. Portanto, “arrepender-se” se refere a renúncia do pecado tanto em pensamento como em ação.
  • Prossegue (12, 13): Como diz nossa definição, maturidade é um processo, isso implica em não se conformar, não parar. Primeiro reconhecer que ainda não está perfeito, depois descobrir e andar na direção da perfeição(Rm. 12:2 – E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. A pergunta é, “como faço para deixar esses erros, pecados, maus hábitos, etc?”. Olhando para Jesus autor e consumador da nossa Fé, e desejando ser igual a Ele.
  • Não perde o alvo (Jesus) de vista (14): Não é apenas prosseguir, mas prosseguir para um alvo específico. Esse alvo é ser parecido com Jesus. Buscar identificação com seu caráter santo. O pecado é errar o alvo, aquele que segue a Cristo está em busca de um alvo, ele tem uma meta, ele tem um propósito, buscar ser parecido com o seu mestre Jesus.
  • Procura ser modelo para outros (17):  Uma pessoa madura, que está reconhecendo sua fragilidade, que busca corrigir seus erros, que tem como alvo principal da vida ser parecido com Jesus, não tem medo de abrir-se para que outros aprendam como seguir Jesus. Não está pronta, mas aquilo que já aprendeu, não deixa de abençoar vidas. Para que isto aconteça é necessário um posicionamento, não podemos ser mais calda, nós somos cabeça. Não somos mais pecadores miseráveis, mas somos santos lutando contra o pecado( I Jo. 1:7 – Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado). Temos uma responsabilidade com aquilo que temos recebido da parte de Deus através do Espírito Santo, anunciarmos a todos que nos rodeiam.

Conclusão: A maturidade espiritual deve ser buscada por uma Igreja que quer fazer a vontade de Deus, sem ela seremos levados de um lado a outro por heresias e ventos de doutrina que vem para confundir a nossa mente e o nosso coração. Muitas vezes não percebemos que Deus nos oferece, ao longo dos anos, oportunidades para crescimento, para amadurecimento. Ficamos como crianças, nos perdendo com coisas elementares, e isso não nos permite crescer, amadurecer(I Co. 13:11 – Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Vamos ficar alertas e aproveitar cada situação para nos tornar cada vez mais sábios e maduros (Ef. 5.15-17 – Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.17 – Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.18 – E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito). Muitas vezes satanás tem derramado o vinho dele em nossa direção e isto tem feito muito estrago em nossa caminhada espiritual. Decidamos hoje mesmo caminhar para a maturidade, deixando para trás tudo aquilo que não estava edificando a nossa caminhada espiritual. Amém.