A revelação de Jesus em minha vida

Texto: Lucas 2:22-38 – E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor.23 – (Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor);24 – E para darem a oferta segundo o disposto na lei do SENHOR: Um par de rolas ou dois pombinhos.25 – Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.26 – E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor.27 – E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,28 – Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:29 – Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra;30 – Pois já os meus olhos viram a tua salvação,31 – A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;32 – Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel.33 – E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam.34 – E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado.35 – (E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.36 – E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade;37 – E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.38 – E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a redenção em Jerusalém. Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra. 

Início: Em todo o momento somos confrontados e até mesmo desafiados a fazermos escolhas, em vários níveis. Algumas escolhas não terão consequências significativas, mas outras definitivamente trarão novos caminhos a seguirmos. Em nossa caminhada espiritual também isto é uma norma, Deus desde criou o livre arbítrio dentro de cada um de nós, sempre respeitou o nosso direito de escolha e temos em sua Palavra muitos exemplos sobre isto, um deles é o do discipulado de Caim. Está escrito em Gn. 4:6-7- (E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?7 – Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar). O próprio Deus veio para ter um discipulado com Caim, pois tinha visto que o seu semblante estava caído e ele andava irado, e depois deste tremendo discipulado, Caim saiu dali foi e assassinou o seu irmão Abel. Então cabe a cada um de nós dar a resposta correta ao chamado de Deus e não andarmos pela nossa própria rota.   

  1. Simeão era homem justo e temente a Deus: Homem reto e cheio do Espírito Santo. O Senhor lhe revelara que não morreria antes de ver o Salvador, e isto ele nutria com fé em seu coração. E, no dia que os pais de Jesus o apresentaram no templo, Simeão foi lá, orientado pelo Espírito Santo. Quando viu o menino, tomou-o nos braços e o abençoou, entregando aos pais uma palavra profética: Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, porque os meus olhos já viram a tua salvação. Essa colocação de Simeão foi bastante egoísta. Ele já tinha recebido a sua bênção, então tudo estava bem, agora podia morrer. Sua visão era apenas de sua vida e Deus, e quanto de nós estamos agindo deste jeito? Já temos recebido a salvação e agora guardamos prá nós e não nos importamos com o nosso próximo. Simeão tinha sido agraciado com uma palavra profética e agora ele não cumpre aquilo que o Senhor esperava da sua vida.
  2. A vez de Ana: Mas, na mesma hora em que Simeão tomava o pequeno Jesus nos braços, abençoava e entregava a profecia, chegou uma anciã, a profetiza Ana. Ela não trouxe outra palavra profética, não praticou nenhum ato profético, mas fez algo muito significativo em relação à atitude de Simeão. Apesar de seus 84 anos, Ana ainda não estava pensando em morte. Ela começou a falar para todos sobre aquela criança especial. Ana olhava para o futuro e falava acerca do menino de Belém da Judéia, filho de Maria, e da palavra profética dada por Simeão. Ana fez aquilo que se espera de um servo do Senhor, ir e anunciar aquilo que os nossos olhos estão vendo. Foi e anunciou a todos que encontrou em seu caminho, que o Salvador de Israel estava entre eles.

Conclusão: Simeão olhava o mundo da sua janela: “Deus me fala, me usa. Então tudo está bem para mim, posso morrer em paz”, pois a promessa de Deus já se cumpriu em minha vida, que vida espiritual medíocre e sem frutos. Ana olhava o mundo da janela de Deus: “O Messias prometido chegou; ainda não posso morrer, tenho  importante recado para o mundo todo: ‘Ouçam, o Messias chegou. Contem para todos”. Em que grupo de servos você se encontra? Aqueles que se contentam em terem sido alcançados e agora estão encostados no barranco espiritual, esperando que o mundo acabe? Ou vocês são como Ana que ao saber que aquele menino era a salvação de Israel, não se conteve, e saiu falando a todos que encontrou pelo caminho, o Messias já estava entre eles. Amém