Qual o alvoroço que temos feito?

image_pdfimage_print

Texto: “Estes que têm alvoroçado o mundo, chegaram também aqui” Atos 17:6
 

Início: Depende da ótica que se lê este texto, temos também uma interpretação diferente daquilo que realmente aconteceu. Quem lê, à primeira vista, Atos 17.6b acha que é um elogio. Mas não o é, na verdade foi uma denúncia dos religiosos, sobre a vida de um homem que um dia fazia parte deles, e até como o apóstolo Paulo mesmo fala, era muito mais zeloso que qualquer um deles, porque agia contra os cristãos achando que estava fazendo o certo, então esta expressão demonstra, uma reclamação de alguns religiosos sobre o apóstolo Paulo que estava provocando uma verdadeira revolução religiosa, por onde passava, e isto já tinha se tornado conhecido para os da sinagoga de Tessalônica.

Se soubessem, apelidariam Paulo de um verdadeiro tsunami, porque arrastava, por onde passava, uma multidão de novos seguidores do Caminho, a saber, Jesus Cristo.
 
A partir do momento que o Espírito Santo desceu sobre a igreja primitiva, eles jamais foram os mesmo, porque uma onda tremenda invadiu todos os lugares por onde eles passavam. E sobre a vida de Paulo, após a sua conversão, se tornando o grande apóstolo que levou o evangelho aos gentios, com força, determinação, inteligência, senso de oportunidades, tudo isso orbitava no maior nome de toda a cristandade, após o ministério terreno do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.
 
Um homem capaz de mudar o mundo, junto com seus companheiros de jugo que está ao seu redor, ser um instrumento de transformação da história deve nos conduzir a refletir o que podemos fazer para também sermos parte de uma geração disposta a impactar e causar um grande alvoroço no mundo(I Jo:18-19 – Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.19 – Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno).
 
O testemunho de Paulo: Paulo seguia em sua segunda viagem missionária. O apóstolo já havia passado por várias cidades, desde o seu envio, em Antioquia. Naquela ocasião, os mestres e líderes da igreja, depois de jejuar e orar, impuseram as mãos sobre Paulo e Barnabé e os consagraram para viagens missionárias. Algo importante a destacar é que nenhuma ação missionária pode prescindir do amor pelas vidas e do apoio incondicional da igreja de Cristo, ansiando por cumprir o Ide de Jesus descrito em Mateus 28:19-20 – (Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;20 – Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos) e Mc. 16:15-18 – (E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.16 – Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.17 – E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;18 – Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão).

Conclusão: Os religiosos de Tessalônica fecharam os seus corações para as boas novas do evangelho e para as novidades do Reino de Deus que Paul e Silas anunciaram, mais alguns se converteram, e muitos gregos e varias mulheres, porém os religiosos se juntaram a alguns vadios o perseguiram Amém..
 
Contudo, a pregação da Palavra não poderia ser presa. Nada poderia impedir a expansão missionária que começou naqueles dias e atravessou as décadas até chegar aos nossos dias. Isso era missões no coração de Paulo e deve ser no coração da igreja.
 
O que precisamos fazer para sermos uma geração capaz de transformar a história? Como eu e você também podemos alvoroçar a nossa geografia e o território em que o Senhor nos colocou? Sejamos apenas aquilo que a bíblia diz que eu sou: Mais do que vencedores por aquele que nos amou e se entregou por cada um de nós. Amém.